TDAH e videogames: qual é a conexão?

Como o TDAH é em grande parte hereditário pela genética, mas também influenciado por fatores externos, não houve nenhuma evidência clara de que videogames e outras mídias eletrônicas, como a Internet, sejam fontes definitivas da doença. No entanto, tem havido um aumento do interesse em saber se o TDAH pode ou não exacerbar os sintomas em pessoas que já foram diagnosticadas com ele. Este artigo irá discutir como isso pode ser o caso com TDAH e videogames, bem como argumentos contra isso.



Fonte: pexels.com



Por que os videogames são uma preocupação?

Os videogames têm sido investigados quanto ao seu papel no TDAH devido ao nosso estilo de vida digital moderno.



Por causa de seu status como uma condição relativamente nova e sua prevalência entre os jovens, muitas pessoas, especialmente os pais, questionam se o uso frequente de eletrônicos é o responsável pelo TDAH.

Estima-se que, em média, as crianças passam mais de 3 horas por dia em frente às telas, jogando videogames e navegando na Internet, e muitos pais têm dificuldade de removê-los. [1]

Os jogos offline foram questionados especificamente porque não facilitam as habilidades de comunicação em comparação com os jogos online, onde os jogadores podem se agrupar, conversar com amigos e trabalhar em equipe.



Apesar disso, mesmo os jogos online podem ser problemáticos para certos indivíduos e podem ser muito viciantes. Isso também se aplica ao uso geral da Internet, e o vício em Internet foi descrito como um problema genuíno de saúde. [1]

Embora o tempo gasto em jogos seja um problema significativo, acredita-se que o uso excessivo pode piorar os sintomas de TDAH. Certos traços foram associados ao excesso de jogos e uso da Internet, o que será discutido a seguir.

543 número do anjo

Efeito dos videogames no cérebro



Por causa da natureza estimulante dos videogames, as pessoas com TDAH são vulneráveis ​​ao vício e vice-versa - os jogos reforçam traços específicos que são proeminentes na doença.

Embora 3 horas por dia seja o tempo médio gasto em eletrônicos, foi demonstrado que adolescentes que passam apenas uma hora por dia jogando ou usando a Internet apresentam sintomas mais poderosos do que aqueles que não participam dessas atividades. [2]



Os videogames são atraentes para quem tem TDAH, especialmente crianças, porque oferecem recompensas praticamente imediatas, e há um grande incentivo para chegar ao próximo estágio do jogo. [1] Isso incentiva o usuário a continuar jogando e pode ser difícil parar.

A tela muda nos jogos, o que costuma acontecer rapidamente. Os videogames também não exigem atenção e memória de trabalho do usuário, nem o foco na tela exige muito esforço de sua parte. [1]



Além disso, a relação entre o TDAH e os videogames também envolve o caminho da recompensa no cérebro, e os pacientes que apresentam a doença buscam continuamente seu estímulo.

A pesquisa mostra que o jogo pode amplificar a liberação de dopamina estriatal e encorajar a dependência de recompensa. Isso também se correlaciona com um estudo anterior que mostra que indivíduos com vício em Internet também tiveram a mesma dependência de recompensa aumentada e uma 'prevalência aumentada de polimorfismos do gene do receptor de dopamina'. [1]



Esses mesmos genes também foram ligados ao alcoolismo, jogo patológico e outros vícios generalizados.

significado do sonho da praia

Fonte: rawpixel.com

Como os videogames podem piorar o TDAH?

Embora os jogos tenham muitos recursos que atraem as pessoas com TDAH, a hipótese é que haja uma 'relação bidirecional' entre os dois. Os jogos oferecem coisas que os indivíduos com TDAH desejam; no entanto, também piora a condição, exacerbando os sintomas.

Esses são sintomas de TDAH que se acredita serem reforçados com o uso prolongado de videogames: [1]

  • Desinibição
  • Resposta rápida
  • Necessidade de recompensas
  • Desatenção
  • Impulsividade

Por causa disso, especula-se que gastar mais tempo em videogames pode aumentar os efeitos negativos que o TDAH tem no desempenho escolar, uma área com a qual muitos jovens lutam. [2]

Por exemplo, sentar-se na sala de aula e fazer o dever de casa pode ser desafiador porque requer esforço mental e atenção cuidadosa. Além de receber boas notas e evitar punições pelas ruins, também não existe um incentivo e uma recompensa rápidos para concluir as tarefas escolares com eficiência.

Portanto, a combinação de TDAH e jogos pode ser problemática porque permite que esses sintomas persistam e afetem o trabalho escolar e outros aspectos importantes, em vez de aliviá-los promovendo a construção de habilidades e a mudança de comportamento.

Outras atividades, como esportes, artes marciais, música e arte, são consideradas um uso mais eficaz e melhor do tempo de alguém com TDAH, porque podem melhorar a atenção, o autocontrole, a autodisciplina e a intervenção comportamental. [1]

No entanto, alguns jogos, principalmente os online, têm sido úteis para facilitar a construção de equipes e as habilidades de comunicação, que também se traduzem na vida cotidiana. Isso faz com que alguns pesquisadores se interessem pelos possíveis efeitos positivos dos videogames nas pessoas com TDAH.

Como os videogames podem ajudar o TDAH?

Os videogames têm causado preocupação, principalmente entre os pais, devido aos problemas apresentados nas duas seções anteriores. No entanto, também é essencial discutir o outro lado da questão e falar sobre como os jogos também podem ser úteis.

Há evidências anedóticas e empíricas que apontam para os jogos tendo um efeito positivo nas mentes das pessoas com TDAH. Isso não desacredita as outras pesquisas, mas oferece outra perspectiva sobre o assunto em questão.

Ao contrário da noção de que jogar reforça a desatenção, muitos pais de crianças com TDAH relataram que jogar é uma evidência de boa atenção. Certos jogos também podem melhorar as habilidades de leitura se o jogo for mais orientado para o texto. [1] Os jogos de RPG são um bom exemplo disso porque costumam ser longos e usar texto para o diálogo do jogo não é apenas tradicional, mas também mais prático. Seria muito caro aplicar dublagem a todas as partes desses jogos.

significado do sonho de porco

Em vez de depender apenas da medicação, tem havido muitas novas abordagens baseadas em tecnologia para tratar o TDAH. O software de computador foi desenvolvido para promover o uso de habilidades como memória, atenção e controle inibitório, e seus efeitos podem ser medidos por meio de EEG e neurofeedback. [3]

Por meio desse tipo de software, as crianças podem treinar habilidades relevantes que se aplicam à vida real. Por exemplo, treinar o controle inibitório pode ajudar as pessoas a resistir a alimentos doces [3].

Como mencionado anteriormente, a via de recompensa do cérebro desempenha um papel crucial na relação entre o TDAH e os videogames. O treinamento cognitivo é projetado para ser divertido e envolvente e também recompensa o bom desempenho, mas isso também pode ser uma desvantagem em apoiar o caso de que os jogos são benéficos.

Fonte: invidio.us

Como esses estudos são controlados e criados especificamente para abordar várias habilidades, isso só serve para esses jogos específicos. Os jogos recreativos normalmente não são projetados com nenhuma habilidade específica em mente, portanto, não é correto dizer que TODOS os jogos podem ser ativos.

Apesar dessa isenção de responsabilidade, ainda é possível que os jogos que promovem ativamente a construção de habilidades possam ser o futuro do tratamento do TDAH e ser outro caminho ao lado da medicação e da terapia.

Conclusão

O TDAH é uma condição complexa e acredita-se que múltiplos fatores podem influenciar seu desenvolvimento e piorar os sintomas. O tema TDAH e videogames é um dos fatores mais populares quando se trata da prevalência da doença, e pesquisas estão sendo realizadas com frequência a respeito.

Os videogames normalmente são agrupados dentro de outros fatores de estilo de vida, mas devido à sua popularidade entre os jovens, os jogos podem frequentemente ser agrupados junto com a Internet e a televisão como um nicho de eletrônicos.

O vício em jogos e Internet foi destacado por causa de sua possível conexão com 'obesidade, agressão e resultados escolares ruins', mas, ao mesmo tempo, existem muitas limitações e problemas metodológicos que ainda nos deixam sem uma resposta definitiva. [1]

Há evidências de apoio de ambos os lados de que o jogo é e não é o problema para o TDAH e, por causa disso, ainda é inconclusivo.

Talvez o problema não sejam os videogames em si; em vez disso, é uma combinação de que tipo de jogos estão sendo jogados e por quanto tempo estão sendo consumidos.

Os videogames não são inerentemente ruins e, na realidade, podem ser usados ​​para fins educacionais, e é muito precipitado descartar seus usos potenciais no tratamento do TDAH. Pode ser difícil encontrar jogos destinados ao desenvolvimento de habilidades, mas é possível que mais estejam disponíveis no futuro.

Atualmente, o gerenciamento do videogame dos filhos e do uso da Internet é uma das soluções mais práticas para os pais. Os jogos não devem ser totalmente removidos e, em vez disso, devem ser equilibrados com outras atividades, como música e esportes.

o que 316 significa

A terapia também pode ser útil para pessoas com TDAH e, na BetterHelp, há conselheiros online disponíveis para atender às necessidades de pessoas de todas as idades. O TDAH não tem cura, mas seus sintomas podem ser minimizados com o suporte e a medicação corretos, fornecidos por um médico.

O TDAH pode tornar as tarefas muito desafiadoras, mas, ao aprender as habilidades certas e lidar com seus sintomas, pode tornar a vida muito mais fácil.

Referências

  1. Weiss, M. D., Baer, ​​S., Allan, B. A., Saran, K., & Schibuk, H. (2011). A cultura das telas: Impacto no TDAH.Transtornos de déficit de atenção e hiperatividade com TDAH, 3 (4), 327-334.doi: 10.1007 / s12402-011-0065-z
  1. Chan, P. A., & Rabinowitz, T. (2006). Uma análise transversal de videogames e sintomas de transtorno de déficit de atenção e hiperatividade em adolescentes.Anais de Psiquiatria Geral, 5 (1) .doi: 10.1186 / 1744-859x-5-16
  1. Johnstone, S. (2013). Jogos de computador e TDAH: potenciais influências positivas no comportamento.Revista IEEE Technology and Society, 32 (1), 20-22