A depressão do gato é real? Sinais e sintomas comuns

Como qualquer história em quadrinhos do Garfield pode atestar, os gatos podem ser criaturas irritadas. Por mais amados que sejam, os gatos costumam ter a reputação de serem mal-humorados ou tempestuosos por natureza e costumam ser vistos como menos complacentes e mais antagônicos do que outros animais de estimação. No entanto, alguns donos de gatos viram uma mudança repentina no comportamento de seus gatos e ficaram se perguntando: a depressão em gatos é real? E o mais importante, meu gato tem?

Fonte: rawpixel.com

O que é depressão?

A depressão é um transtorno do humor mais comumente identificado em humanos. Nas pessoas, a depressão é marcada por mudanças de humor e personalidade, sofrimento constante ou humor deprimido, apatia e perda de interesse ou motivação. Embora esses sejam os sintomas mais comuns em humanos adultos, pode surpreender as pessoas saber que animais de estimação, animais selvagens e até mesmo gado podem apresentar sintomas de depressão. Como os humanos, esses sintomas geralmente são precedidos por um evento, grande ou pequeno, que inicia uma cadeia de mudanças.



Depressão em felinos: sintomas e causas

A depressão em gatos é um tanto semelhante à depressão em humanos, pois pode alterar o humor e as normas de personalidade e pode passar despercebida por algum tempo antes que os donos de gatos se preocupem com algo errado. Embora os sintomas precisos da depressão do gato dependam da personalidade e temperamento do animal em questão, existem vários pontos em comum, incluindo:





Fonte: rawpixel.com
  • Mudanças na comunicação. Se o gato suspeito de estar deprimido costuma ser um gato que fala alto, comunicando em voz alta que quer sair, que precisa de comida ou de afeto, esses comandos e pedidos vocais podem diminuir repentinamente ou parar completamente. Se o gato for normalmente quieto e reservado, pode repentinamente ficar alto e agitado, uivando constantemente e aparentemente sem motivo.
  • Alterações intestinais. Os gatos que antes eram visitantes da caixa de areia imaculada podem começar a urinar ou defecar fora da caixa de areia. Essa mudança de comportamento pode ser óbvia, com os gatos fazendo suas necessidades à vista no tapete ou no chão, ou podem ser mais disfarçados, escondendo suas indiscrições em plantas de casa, sob cobertores ou abrigados em bolsas ou sapatos.
  • Mudanças de apetite. Se um gato está deprimido, ele pode ter perda de apetite, embora alguns gatos possam mostrar maior interesse em comida. Se um gato que antes era comedor saudável de repente começa a deixar comida sem comer ou não bebe mais água, isso pode ser um claro indicador de depressão - ou outra doença, já que esse sintoma específico costuma ser um sintoma de doença física também.
  • Mudanças de sono. Gatos deprimidos também podem apresentar alterações em seus padrões de sono padrão. Os gatos podem repentinamente começar a dormir mais e em espaços estranhos, ou podem parecer nervosos, e parecem ter diminuído seu tempo normal de sono. A depressão, geralmente, afeta a capacidade e a vontade de dormir de todas as criaturas.
  • Mudanças de personalidade. Os gatos temperamentais e antagônicos podem demonstrar um comportamento cada vez mais errático e agressivo, enquanto os gatos dóceis podem começar a se comportar em padrões mais agressivos e perturbados. Embora a depressão geralmente esteja associada à tristeza, os gatos deprimidos podem, na verdade, exibir mais sintomas que estariam associados à raiva.
Fonte: rawpixel.com

Agora que os sintomas da depressão em gatos foram identificados, a maioria dos proprietários de gatos se pergunta 'por quê?' A depressão em gatos geralmente não ocorre gradualmente, devido a fatores genéticos, mas está mais comumente relacionada a um evento que ocorreu recentemente. Os gatos, como todos os animais, são criaturas sensíveis (apesar do que sua natureza pode sugerir) e podem ter reações significativas a fatores de estresse, mudanças na rotina e até mesmo mudanças no cenário. As causas mais prováveis ​​de depressão em gatos incluem:

  • Os gatos podem ficar deprimidos se perderem um membro da família, seja esse membro da família um gatinho, um irmão, um pai ou um dono, o que pode desencadear uma reação severa.
  • Um gato triste é aquele que pode ter sua casa arrancada quando seu dono se muda ou quando eles são devolvidos a um abrigo. Quando um gato está deprimido, pode haver uma sensação de perda quando uma criança sai de casa, um animal de estimação morre ou o dono tem um aumento repentino no horário de trabalho. Cada um deles pode levar a um gato triste, com a intenção de deixar você saber que algo está errado.
  • Mudar é difícil para os animais e pode causar depressão em gatos. As mudanças não precisam ser significativas; um gato pode ficar deprimido devido a uma mudança na comida, uma caixa sanitária realocada ou a adição de um novo animal de estimação na casa.
  • Lesões e doenças. Esta é talvez uma das causas mais complicadas da depressão em gatos, já que muitos sintomas da depressão em gatos realmente imitam a doença. No entanto, um gato deprimido pode ser um gato doente, seja essa doença relativamente fácil de curar, como uma infecção do trato urinário, ou mais difícil de tratar, como o câncer. Esta é uma das razões pelas quais as mudanças de humor nos animais nunca devem ser ignoradas.
  • Falta de atenção. Embora os gatos tenham a reputação de não se importarem com atenção e afeição como seus colegas caninos, isso está longe da verdade; como a maioria dos animais domesticados, os gatos requerem afeto e atenção para funcionar de maneira ideal, e a falta de atenção adequada pode levar à depressão do gato.
  • Diferenças simples. Diferentes raças, idades e temperamentos de gatos podem se prestar desproporcionalmente ao desenvolvimento de depressão e outras condições.

Tratamento da depressão felina

Como os sintomas de depressão em gatos podem imitar muitas outras condições, é vital levar seu gato ao veterinário se surgirem sintomas de depressão; o veterinário será capaz de tratar a depressão e avaliar seu gato para quaisquer problemas adicionais que possam estar em jogo. O tratamento da depressão felina difere do tratamento da depressão em humanos. Em humanos, a depressão é tratada por meio de uma série de intervenções, que podem incluir intervenções no estilo de vida, medicamentos farmacêuticos e psicoterapia. Como os gatos não podem comunicar verbalmente suas preocupações, nem podem se envolver em terapia da mesma forma que os humanos, o tratamento para a depressão em gatos se concentra na eliminação de co-morbidades potenciais, na melhoria da situação em casa e potencialmente na medicação (mas geralmente apenas por um curto período período). Embora os gatos possam sofrer de depressão após algumas das mesmas coisas que os humanos (a perda de um ente querido, por exemplo), eles não a sentirão pelo mesmo período prolongado que os humanos, e a intervenção farmacêutica para gatos não acarretará o mesmo duração ou intensidade.



Fonte: rawpixel.com

Tratar a depressão felina muitas vezes não é apenas uma questão de tratar o gato, mas encorajar o dono do gato a fazer mudanças. Se a depressão do gato veio na esteira de uma mudança, como uma mudança, mudança na comida ou mudança na localização da cama do gatinho, o veterinário pode sugerir que você mitigue essas mudanças tanto quanto possível e, quando disponível, faça menos mudanças drásticas. Se, por exemplo, um proprietário deseja mover uma caixa de areia de um banheiro para uma lavanderia, seria melhor fazer pequenas mudanças incrementais no local por um longo período de tempo, em vez de fazer uma única mudança drástica de uma vez só. Isso pode ajudar a devolver o humor do gato ao normal.



Sintomas de melhora

O maior indicador da melhora de um gato após o tratamento é a restauração da personalidade dele. Se o seu gato mais uma vez sai do esconderijo, come bem, dorme bem e está demonstrando afeto, geralmente é seguro dizer que o período de depressão acabou.



significado de um sapo cruzando seu caminho

Perspectiva de longo prazo

Infelizmente, a depressão em gatos pode voltar facilmente, se houver alguma mudança ou se o gato sentir uma sensação de perda ou medo. A prevenção da depressão do gato pode ser feita, no entanto, e geralmente envolve certificar-se de que as mudanças na rotina não sejam abruptas ou graves, mantendo contato próximo com o gato por meio de brincadeiras e atenção diárias e tomando medidas para confortar um gato que passou pela perda de um dono , outro animal de estimação em casa, ou um pai ou irmão.

Os gatos podem ser animais maravilhosos para cuidar e podem até mesmo ser prescritos por profissionais de saúde mental, como os que trabalham com a BetterHelp, para funcionar como animais de terapia ou apoio emocional. Apesar de sua natureza como companheiros maravilhosos e criaturas terapêuticas, os gatos podem ser propensos a problemas de saúde, incluindo depressão. Ficar no controle de todos os sintomas garantirá o melhor resultado para o gato e ajudará você e o veterinário do seu gato a determinar a raiz do problema. Lembre-se de que a depressão em animais não é tão direta quanto a depressão em humanos e, muitas vezes, é um sintoma de uma doença física, em vez de uma condição por si só. Garantir que trata seu gato com amor, carinho e cuidado pode ajudar muito na prevenção e no tratamento da depressão em gatos e pode ter um efeito positivo no seu humor e felicidade. Embora a depressão nem sempre seja considerada em gatos, alguns profissionais de saúde animal acreditam que os gatos podem ter surtos de depressão, e os proprietários fariam bem em observar quaisquer sintomas que o gato possa ter, apresentar esses sintomas a um veterinário e ter o gato avaliado quanto a quaisquer sintomas ou condições adicionais.